Vídeo de criança interagindo com artista nu causa polêmica

Um vídeo que viralizou na internet, causou muita discussão e polêmica. O Museu de Arte Moderna de São Paulo (MAM), teve um exposição onde o coreógrafo Wagner Schwartz está completamente nu sobre um tatame de papelões e interage com o público.

No vídeo é possível ver uma criança acompanhada pela mãe, interagindo com o artista.

De acordo com o Museu “o trabalho não tem conteúdo erótico”. Ele faz “uma leitura interpretativa da obra Bicho, de Lygia Clark, artista historicamente reconhecida pelas suas proposições artísticas interativas”.

Na interpretação denominada La Bête (A Besta, ou O Bicho, em francês), Schwartz “se torna” um bicho e pode ser manipulado pela plateia. A obra integra o 35º Panorama da Arte Brasileira – 2017.

Na internet o vídeo causou revolta com o caso que foi considerado por muitos internautas como pedofilia.

Confira a resposta do MAM:

NOTA DE ESCLARECIMENTO

O Museu de Arte Moderna de São Paulo informa que a performance “La Bête”, que está sendo questionada em páginas no Facebook, foi realizada na abertura da Mostra Panorama da Arte Brasileira, em evento de inauguração.

É importante ressaltar que o Museu tem a prática de sinalizar aos visitantes qualquer tema sensível à restrição de público. Neste sentido, a sala estava devidamente sinalizada sobre o teor da apresentação, incluindo a nudez artística. O trabalho não tem conteúdo erótico e trata-se de uma leitura interpretativa da obra Bicho, de Lygia Clark, artista historicamente reconhecida pelas suas proposições artísticas interativas.

É importante ressaltar que o material apresentado nas plataformas digitais omite a informação de que a criança que aparece no vídeo estava acompanhada de sua mãe durante a abertura da exposição.

Portanto, os esclarecimentos acima denotam que as referências à inadequação da situação são fora de contexto.

 

Comments

comments

Inline
Inline