Trabalhadores do Consorcio São Lorenço estão sem pagamento

Com a promessa de acabar com a maior crise hídrica das últimas décadas, o Sistema São Lourenço afirma que levará água para 2 milhões de moradores da Grande SP.

O Sistema é uma obra da Sabesp e está sendo construída pelo modelo de PPP (Parceria Público-Privada). O consórcio executor é formado pelas empresas Camargo Corrêa e Andrade Gutierrez.

As obras tiveram início em abril de 2014 gerou transtorno para alguns moradores de Vargem Grande Paulista e Região, que foram prejudicados pela  logística das obras e pela interdição parcial e integral de vários trechos das vias urbanas, temporariamente.

Prefeitura de Cotia e Promotoria cobram do Consórcio São Lourenço recuperação viária

Começam as obras na estrada de Caucaia e se preparem para os transtornos.

Obras no acesso ao bairro Atalaia em Cotia

Funcionário é chamado de ‘preto folgado’ e ameaçado com facão em Vargem Grande Paulista

A previsão é que a obra entre em operação assistida no fim de 2017, produzindo até 6.400 litros de água potável por segundo.

Além da promessa de sanar os problemas de abastecimento de água da população, o Sistema São Lourenço também gerou muitos empregos para a região.

Entretanto, segundo trabalhadores da TLSV Construtora, construtora que é uma terceirizada da Camargo Corrêa, a empresa está há mais de um mês sem pagar o salário e os benefícios dos trabalhadores.

De acordo com um dos funcionários que esta sem receber: “Tem mais de 30 trabalhadores e eles falaram que não irão pagar”.

“Não recebi meu pagamento e nem meu vale alimentação, tenho 3 filhos e estou com aluguel atrasado, com a conta de água e luz sem pagar, esta bem difícil a minha situação”, diz o funcionamento, mostrando a geladeira vazia.

Ele ainda afirmou ” A TLSV simplesmente sumiu, sem se importar com os trabalhadores que deram o seu suor nas obras e hoje não tem alimento para por na mesa dos filhos”.

O Fique por Dentro, tentou contato com as empresas   TLSV Construtora, Camargo Corrêa e com o SINTRAPAV (Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção Pesada).

Em resposta a TLSV Construtora, afirmou que entraria em contato para esclarecer o ocorrido, porém até o fechamento desta reportagem não se posicionou.  A Camargo Corrêa não se manifestou sobre o ocorrido.

Já o SINTRAPAV  de São Paulo, conversou com a nossa reportagem. Segundo a Dra Bianca advogada do Sindicato, eles já estão trabalhando para resolver o problema. Ela não soube precisar se a empresa realmente foi embora, porém afirmou que a empresa Camargo Corrêa é co-responsável pelos 39 trabalhadores que estão sem receber seus salários do último mês.

“Já convocamos uma reunião com o Ministério do Trabalho e com as empresas responsáveis pelo consórcio, para resolver este problema dos trabalhadores”.

Bianca afirma que o sindicato está trabalhando para resolver o mais rápido possível a situação.

O Fique por Dentro está de olho e irá acompanhar todo o desfecho do caso.

Comments

comments

Inline
Inline