Rapper vargengrandense se prepara para lançar novo trabalho autoral

Letras românticas e histórias do cotidiano se misturam com críticas sociais no EP (extended play) Control X, primeiro trabalho autoral do rapper Guilherme André sob o pseudônimo de MC Vennuz.

Lançado em outubro do ano passado, de maneira discreta, em seu canal no Youtube, o trabalho do artista de Vargem Grande Paulista radicado em Mairinque foi apresentado ao vivo em Sorocaba há 15 dias, na última edição da Feira do Beco do Inferno.

Anunciado pelos organizadores da feira como “representante do [movimento] LGBT no rap”, Vennuz não contesta a definição, mas prefere levar sua arte sem rótulos. “Tem surgido muitos artistas usando esse termo e parece algo inovador, mas eu escrevo há muito tempo. Sou gay, negro e da periferia, mas acima de tudo sou um rapper”, afirma o artista, recém-formado em artes visuais pela Universidade de Sorocaba (Uniso).

Apesar da chamada cena “queer rap”, crescente nos Estados Unidos, com representantes gays que estão ajudando a derrubar os estereótipos do gênero, como Le1f, Cakes Da Killa e Zebra Katz, Guilherme André destaca que sua motivação para começar a fazer rimas foi mais introspectiva. “Eu sempre gostei de pop. Me identificava com as cantoras, mas chegou um momento que as letras não ofereciam mais o discurso de que eu precisava. Eu sempre escrevi poesia rimada até que descobri que o que eu estava fazendo era rap”, detalha.

Do instante em que se descobriu compositor até entrar pela primeira vez em um estúdio, passaram-se cinco anos. “Levei tempo para conseguir coragem de soltar a voz para o mundo”, comenta. As letras, todas baseadas em experiências pessoais, narram histórias de relacionamento de maneira sensual, mas guardam espaço para críticas acintosas e diretas contra a homofobia, o racismo, a opressão e, especialmente, ao que ele denuncia como “privilégios” da elite. “Não é meu objetivo ser militante o tempo todo. Escrevo para me divertir, de maneira natural, mas não tem como eu não falar sobre as minhas experiências”, complementa.

As quatro faixas de Control X, primeiro EP do artista, mixado e masterizado por Gustavo Gonzo, foi produzido de maneira independente e disponibilizado na internet sem pompa nem festa de lançamento. “Joguei mais para testar, para ver como repercutia”, diz.

Diante de centenas de visualizações e comentários positivos recebidos de várias partes do país, MC Vennuz se diz mais seguro e maduro para lançar um novo trabalho, que deve ser apresentado dentro de 30 dias. “Pretendo lançar um single por vez, com videclipes bem produzidos”, conclui. As músicas do EP Control X podem ser conferidas AQUI

Fonte: Jornal Cruzeiro do Sul- Felipe Shikama

Comments

comments

Inline
Inline