Preso em Vargem Grande Paulista, PM que confessou duplo homicídio

Na manhã desta terça-feira (19/12), a Polícia Civil de Piedade, prendeu em Vargem Grande Paulista, o policial militar Douglas Pereira de Jesus.

Ele confessou ser o autor do duplo homicídio ocorrido no bairro Ortizes, em Piedade, na madrugada de 10 de dezembro.

As vítimas, Silnei Cardoso do Nascimento e Julio César Pereira, foram mortas com tiros na cabeça e no tórax.

A ação teve apoio da corregedoria da Polícia Militar e deteve por volta das 6h30, o indiciado em Vargem Grande Paulista, onde trabalha.

Douglas alegou ter sido ameaçado por Julio César e, por conta disso, cometeu o crime. Ele afirmou, ainda, que utilizou a arma oficial da corporação para efetuar os disparos que tiraram a vida da dupla. A pistola de calibre .40 ficou apreendida.

 

Pistola .40 utilizada pelo PM no crime foi apreendida pela Polícia (Foto: Divulgação/Polícia Civil)

Douglas morava em Ibiúna, no bairro da Ressaca e estava na corporação há 3 anos, pertence ao Batalhão de Cotia, mas trabalhava em Vargem Grande Paulista.

Douglas morava na Ressaca, em Ibiúna e trabalhava como PM em Vargem Grande Paulista.

Douglas de Jesus foi encaminhado ao presídio militar Romão Gomes onde ficará preso inicialmente por 30 dias.

Investigação 

A prisão de Douglas se deu após um detalhado trabalho investigativo, iniciado logo após o crime. A equipe da Polícia Civil refez todos os passos das vítimas nas horas que antecederam os homicídios.

Segundo testemunhas, apurou-se que as vítimas haviam frequentado uma festa e deixaram o local no automóvel do PM, um Fiat Punto de cor prata.

De acordo com o Delegado Paulo Sérgio Garcia, no local onde ocorreu o crime, uma testemunha disse que ouviu os disparos e viu um indivíduo recolher os cartuchos deflagrados. Feito isso, o sujeito teria entrado em um carro de características idênticas àquele em que o trio havia deixado a festa.

As pistas estavam se encaixando, mas faltava a confirmação do nome e com as imagens de câmaras de segurança de alguns lugares e imagens de câmeras de radar da Rodovia Bunjiro Nakao, os policiais civis descobriram que o Fiat Punto pertencia a Douglas de Jesus, policial militar lotado na cidade de Vargem Grande Paulista.

“Primeiro descobrimos que o PM e as vítimas estavam juntos numa festa. Os três deixaram o local num Fiat Punto prata, pertencente ao policial. O veículo tem as mesmas características do que testemunhas teriam visto sair do local do crime após ouvirem disparos. Fomos juntando as informações e chegamos até o Douglas, que morava em Ibiúna e trabalhava em Vargem Grande Paulista”, contou Garcia.

Ainda segundo a Polícia Civil, as investigações continuam para saber se houve a participação de mais pessoas no caso. Também quer saber se o PM apenas deu uma carona ou já conhecia os rapazes.

O advogado Valdionor Placido Vieira da Silva, que representa a família das vítimas, parabenizou a Polícia Civil pelo trabalho de investigação e disse que vai atuar junto a promotoria para que o autor responda o processo preso.

“Isso vai garantir a integridade das testemunhas e todo processo de instrução. Esperamos que com todos os atenuantes, como motivo torpe e sem chances de defesa, o autor seja condenado em pelo menos 15 anos por cada vítima, ou seja, 30 anos de prisão”, afirmou o advogado.

Duplo homicídio

Júlio e Silnei, que eram do Distrito do Paruru, em Ibiúna, foram mortos por volta das 4h15, na principal rua do bairro dos Ortizes, próximo a casa em que uma das vítimas estava morando recentemente. O primeiro levou um tiro na cabeça e outro no tórax, enquanto que o segundo morreu com apenas um disparo no crânio. Ambos foram enterrados no último dia 11, no Cemitério Municipal de Piedade.

Comments

comments

Inline
Inline