Prefeitura de Cotia desmente boato de morte por febre amarela

O boato surgiu, através de um áudio, onde uma suposta funcionária da unidade de saúde afirma que ocorreu uma morte por febre amarela, no bairro do Atalaia.

Segundo Magno Sauter, secretário de Saúde do município:

“Não há motivo para pânico. Cotia não apresenta nenhum caso, até o momento, de confirmação da doença em primatas, tampouco em humanos. A medida é cautelar devido às confirmações da doença em macacos encontrados em regiões vizinhas”.

A Vigilância Epidemiológica, também soltou uma NOTA interna para os demais departamentos da administração, desmentindo o boato e esclarecendo para que não ocorra pânico generalizado.

Mesmo com a confirmação de não veracidade das informações dos áudios que circulam pela redes sociais e aplicativos de comunicação, haverá sim ações de intensificações contra a febre amarela.

Entre os dias 29/11 e 29/12, das 9h às 16h, a Prefeitura de Cotia, por meio da Secretaria de Saúde, realiza a ação de bloqueio de intensificação vacinal de Febre Amarela (veja cronograma abaixo). Para alcançar o maior número de moradores, a Vigilância Epidemiológica, responsável pela ação, também realizará a vacinação nos chamados ‘Dia D’, marcados para 2 (sábado), 3 (domingo) e 9/12 (sábado), das 9h às 15h30, em diversas unidades, para vacinação exclusivamente contra a Febre Amarela.

A Secretaria de Saúde, no entanto, orienta a população a procurar a unidade de saúde mais próxima de sua casa priorizando os dias de semana para evitar o enfrentamento de filas.

Mulheres que estiverem amamentando bebês com mais de seis meses, podem receber a imunização, no entanto, a amamentação terá que ser suspensa por no mínimo dez dias. A vacina é contraindicada para menores de noves meses de idade, portadores de HIV ou câncer, pacientes em terapêutica imunodepressora: quimioterapia, radioterapia, corticóide em doses elevadas por mais de 2 semanas; doenças autoimunes como lupos, anemia, falciforme, renal crônico, hepatopatas, entre outras), em uso de medicações antimetabólicas como azatioprina e ciclofosfamida), medicamentos modificadores do curso da doença, os biológicos: Infliximabe, Etanercepte, Golimumabe, Certolizumabe, Abatacept, Belimumabe, Ustequinumabe,  Canaquinumabe, Tocilizumabe, Rituximabe), pacientes com história pregressa de doença do timo (miastenia gravis, timoma) e gestantes.

 

Comments

comments

Inline
Inline