Impostos e contas de janeiro pesam no bolso do brasileiro

Mal começa o ano e grandes despesas começam a chegar. Prestações do Natal, material escolar, férias, IPVA e IPTU.

No Estado de São Paulo, o IPVA começa a ser cobrado na segunda-feira (9), para os carros que têm placa final 1. Os boletos do IPTU devem começar a chegar na segunda quinzena do mês.

O diretor-executivo da Anefac (Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade), Miguel Ribeiro de Oliveira, e o educador financeiro André Massaro indicam que, para quem economizou e tem dinheiro aplicado, a melhor opção é pagar à vista, para aproveitar os descontos.

Quem não tem dinheiro para pagar tudo de uma vez precisa avaliar se vale parcelar ou pegar um empréstimo no banco para quitar à vista.

O mais importante é não se endividar no cheque especial, pois as taxas de juros estão altíssimas.

Já para o economista e professor da Fundação Santo André e do Centro Municipal de Ensino Superior (Imes), Marcos Antônio Biffi, a dica para aliviar o bolso dos consumidores é optar pela pagamento do imposto em forma parcelada, uma vez que o pagamento à vista garante somente de 3% a 5% de desconto. “São porcentuais considerados baixos, pelos quais não vale a pena comprometer parte maior da remuneração.”

Material escolar – Além de IPTU e IPVA, todo início de ano é marcado ainda por outras despesas consideradas extras, principalmente para as famílias com crianças em fase escolar. A lista de materiais geralmente é divulgada pelas escolas na segunda quinzena do mês, o que pode levar os fornecedores a elevar os preços devido à procura.

Segundo o economista Marcos Antônio Biffi, o pagamento à vista mediante desconto deve ser a primeira opção dos pais. “No entanto, a pesquisa de preços antes da compra deve ser o primeiro passo”, disse. Para ele, mesmo que o colégio não adiante a lista de livros didáticos, a compra do material básico, com base nos números do ano passado, deve ser adiantada.

No caso das famílias que não têm condição de quitar de imediato a compra, Biffi indica o pagamento parcelado no cartão de crédito como uma boa alternativa. “O consumidor garante o preço à vista parcelado em até três vezes e adia a primeira parcela da despesa para a data de vencimento do cartão.”

Outros gastos que devem ser previstos no orçamento mensal para janeiro é com passeios ou viagens. Por ser mês de férias, as despesas com lazer tendem a aumentar e devem ser incluídas no planejamento do mês. “Além disso, as pessoas não podem esquecer de lançar os valores já comprometidos com as compras de Natal. “A tendência dos consumidores é parcelar estas compras, comprometendo parte dos primeiros salários do novo ano”, disse, referindo-se ao abatimento do valor comprometido antes do planejamento do mês. “A recomendação é para que os consumidores cheguem ao valor disponível antes de definir a forma pela qual irão bancar as despesas deste início do ano.”

Comments

comments

Inline
Inline