Festa de fim de ano em multinacional leva à demissão do presidente no Brasil

A multinacional Salesforce produz softwares para empresas como Embraer, iFood e SulAmérica. Como fazem muitas empresas, promoveu uma festa de final de ano para os funcionários em dezembro passado. A descontração na filial brasileira, porém, extrapolou os padrões aceitáveis pela matriz americana e acabou levando à troca no comando da subsidiária.

A área de recursos humanos entendeu que seria divertido promover um concurso de fantasia na confraternização anual, com premiação em dinheiro aos três melhores paramentados.

O primeiro colocado levaria R$ 3.000. A votação ficaria a cargo dos cerca de 250 participantes da festa.

Um dos funcionários, Daniel Prado, que atuava na área de vendas, quis fantasiar-se como um meme popular que circula no aplicativo WhatsApp, chamado de “Negão do WhatsApp”. Vestiu camisa azul, colocou uma toalha no ombro, chapéu rosa e improvisou uma prótese para imitar o pênis do personagem.

Ficou em quarto lugar no concurso de fantasias e foi parar no centro de uma foto, ao lado do diretor comercial e de outras dez pessoas, todas se divertindo.

Na matriz, em San Francisco (Costa Oeste dos EUA), aonde a imagem com o fantasiado chegou, deflagrou uma crise.

As versões sobre o impacto da imagem divergem. Uma delas, que circula na internet, diz que a direção da companhia teria pedido a demissão do funcionário, mas o diretor comercial, Rodrigo Pinto, tentou mantê-lo no cargo, argumentando que no Brasil as pessoas são mais liberais.

A sede, então, teria decidido demitir também o diretor comercial. Teria sido a vez de o presidente da multinacional no Brasil, Mauricio Prado, interferir, alegando que a punição era exagerada, pois aquilo não passara de brincadeira.

A matriz acabou demitindo o funcionário, o diretor e o presidente.

Executivos próximos ao caso negam a versão e dizem que os três foram demitidos juntos, no mesmo dia (18 de dezembro). Afirmam ainda que o RH não impôs qualquer limite às fantasias e que não houve reclamações a respeito do traje durante a festa.

Outros dois funcionários, fantasiados como personagens principais do filme “As Branquelas” —em que dois policiais negros se travestem de patricinhas brancas—, foram suspensos pela empresa até segunda análise.

Folha apurou que pessoas próximas ao caso consideraram a punição dos funcionários demitidos exagerada e contraditória com o discurso da empresa de ser aberta à diversidade.

Procurada, a Salesforce confirmou os desligamentos dos funcionários e disse que, por protocolo interno, não comentaria a saída de profissionais. Falou ainda que os executivos “trouxeram importantes contribuições para a Salesforce durante suas atuações na companhia”.

“Enrique Ortegon, que dirige a operação na América Latina, assume a função de General Manager para Brasil e países hispanos”, conclui a nota.

Comments

comments

Inline
Inline