Ex secretária de Barueri na gestão Furlan, foi um dos alvos da Lava Jato em Cotia

A ex-secretária de Negócios Jurídicos de Barueri, Ana Cláudia de Paula Albuquerque, foi um dos alvos da 45ª etapa da Lava Jato, na Operação Abate II, realizada na quarta-feira, 23/08. Contudo, mas suspeita fica por conta do período que ela era assessora do ex-deputado federal Cândido Vaccarezza (PTdoB).

Conforme o despacho do juiz federal Sergio Moro, a advogada, que ocupou a secretaria da Prefeitura de Barueri até junho deste ano, seria uma das envolvidas na investigação sobre o do pagamento de propina na contratação pela Petrobras da Sargeant Marine para fornecimento de asfalto. O documento frisa que há provas de que Vacarezza utilizou sua influência como deputado em favor da contratação pela Petrobrás da Sargeant Marine e, para isso, teria recebido um percentual dos lucros obtidos pela empresa calculado em aproximadamente US$ 478 mil. Ana Claudia é apontada como a pessoa enviada pelo ex-deputado para realizar os “mais variados assuntos” e seu número de telefone foi encontrado na lista do celular utilizado pelo operador do PMDB Bruno Gonçalvez Luz.

Com a quebra do sigilo da ex-secretária de Barueri, Moro frisou que entre as mensagens, algumas têm “caráter suspeito”, e cita as solicitações de empresários para interferências em seu favor pelo então deputado federal. “Estou iniciando um negócio que por certo vai interessar o patrão, e vejo espaço para você nele também. Abrangerá trabalho jurídico, ligado ao mercado financeiro. Trata-se de um projeto visando 2014, e vejo no chefe o potencial ideal para isso e tuto a ver com os planos macro dele”, dizia uma  mensagem de Ana Cláudia divulgada no documento.

Ainda conforme o despacho de Moro, os mandados tiveram como foco a coleta de provas relativa à prática pelos investigados dos crimes de corrupção, concussão, lavagem de dinheiro, associação criminosa, evasão fraudulenta de divisas, violação de sigilo funcional e de falsidade, além dos crimes antecedentes à lavagem de dinheiro.

A casa da advogada, em Cotia, foi um dos alvos de busca da operação, na última quarta-feira, para procura por materiais diversos como registros e livros contábeis, recibos, documentos relacionamentos a manutenção e movimentação de contas no Brasil e no exterior, além de valores em espécie igual ou superior a R$ 50 mil ou US$ 50 mil sem comprovação de origem lícita.

Paralelo à essa investigação, Ana Cláudia assumiu a pasta de Negócios Jurídicos em Barueri nomeada pelo prefeito Rubens Furlan (PSDB) no início do ano e deixou o posto em 23 de junho. Seu lugar foi ocupado pelo advogado Marco Aurélio Toscano da Silva. Vacarezza foi preso na última semana, em ação da Lava Jato.

Fonte: Barueri na Rede

Comments

comments

Inline
Inline