Cotia terá primeira escola com ensino integral

Com 13 votos a 4, votação do Conselho da escola aprovou a mudança do ensino, nesta quarta-feira (16), no final da tarde. mas o clima no Pedro Casemiro Leite continua tenso entre professores e direção.

Segundo a Secretaria de Educação do Estado de São Paulo, a escola está qualificada para essa mudança. A partir de 2018, a escola passa a dar aulas apenas para o ensino médio, das 7h30 às 16h30, com todas as disciplinas e o adicional do Projeto de Vida.

A ideia do Projeto de Vida é direcionar os estudantes para profissões que de acordo com cada personalidade. Com ajuda de professores e demais profissionais, depois das análises com os estudantes, serão feitas diversas oficinas que auxiliem os estudantes a se reconhecerem e já aprenderem mais sobre suas respectivas áreas.

Professores que se posicionaram contra o ensino integral, alegam que a mudança é muito repentina. Segundo a professora Ana Barreto, a escola precisava de mais tempo, para aplicar a mudança aos poucos, “420 alunos serão transferidos para outras escolas, sem a certeza de que será pra outra próxima de casa, vai depender da quantidade de vagas em cada uma. Mesmo os professores que são concursados, a transferência vai depender das escolas que tiverem ou não vagas disponíveis, não é certeza de que vamos continuar dando aula normalmente no próximo ano. E os professores que ficarem, terão aumento de 75% no salário.”

Em reuniões com o Conselho, a professora também apresentou dados e pesquisas sobre como a ensino integral pode afetar de forma negativa, se não for bem trabalhada. “Segundo o livro Políticas para o Ensino Médio, os alunos de tempo integral têm maior renda, vivem em área urbana, estão na idade correta para a série e a escolaridade da mãe é superior”, e completa, “a escola nem fez uma pesquisa para ter uma noção de quantos dos nossos alunos vão poder continuar na escola, a maioria precisam trabalhar, então não se sabe como vai ser a demanda.”

Entretanto, professores que votaram a favor do ensino integral estão otimistas com as mudanças. “Eles merecem o melhor!”, diz o professor Amadeu Canavezzi. “Com o novo ensino, é quase certeza que eu terei de sair da escola, mas a gente precisa pensar nos nossos alunos. As escolas com ensino integral no estado tem ótimas recomendações, os alunos aprendem o dia inteiro. Diversos professores vão ter que sair por não poder dar conta de se disponibilizar integralmente aos alunos, eles merecem uma educação de qualidade, como a da escola particular.”

Segundo o professor, os alunos que tiverem de sair da escola no próximo ano, terão preferência quando retornar ao Ensino Médio, “Muitos alunos de Carapicuíba já estão interessados em vir estudar no Pedro, mas a preferência da escola vai ser primeiro acolher os alunos que já estudavam aqui. ”

Fonte: Cotia Todo Dia  

Comments

comments

Inline
Inline