Cesta básica paga pela prefeitura de Cotia está mais cara que nos supermercados

Município contratou empresa por R$ 6,9 milhões para fornecer 42 mil cestas. Produção da TV Globo cotou, com a mesma empresa, cestas com os mesmos produtos por R$ 2,8 milhões.

Prefeitura Municipal de Cotia fechou contrato com a empresa Agro Comercial da Vargem Ltda para o fornecimento de 42 mil cestas básicas, durante um ano, pelo valor de R$ 6.925.380,00. O contrato, assinado em 12 de julho de 2017, é R$ 4 milhões mais caro que a cotação feita pela produção do Bom Dia São Paulo com a mesma empresa. Neste caso, as cestas sairiam por R$ 2.847.600,00.

Procurado uma concorrente para comparar o preço de cada um dos produtos oferecidos na cesta. O tempero de 300 gramas, por exemplo, ficou 557% mais caro no contrato municipal (R$ 3,68) do que na concorrente (R$ 0,56). Os pacotes de feijão também ficaram mais caros. A diferença foi de 180% – três pacotes por R$ 9,30 na concorrente, e R$ 26,22 no contrato da Prefeitura de Cotia.

Além do tempero e do feijão, a cesta tem outros 13 itens: arroz, biscoito água e sal, açúcar, fubá, farinha de mandioca, leite em pó integral, macarrão tipo espaguete, sal refinado, sardinha em óleo, pó de café, óleo de soja, polpa de tomate e a caixa de papelão que embala os produtos.

A Prefeitura paga em cada cesta R$ 164,89. A mesma empresa ofereceu o mesmo modelo de cesta por R$ 67,80 na cotação feita para a produção.

Contrato da Prefeitura de Cotia (à esq.) a R$ 164,89 a unidade; em outro orçamento da mesma empresa a unidade sai a R$ 67,80 (Foto: Reprodução/TV Globo)
Contrato da Prefeitura de Cotia (à esq.) a R$ 164,89 a unidade; em outro orçamento da mesma empresa a unidade sai a R$ 67,80 (Foto: Reprodução/TV Globo)

Logística

Uma das explicações que a Prefeitura de Cotia deu para a diferença de preços é a que o transporte das cestas é feito pela empresa Agro Alimentos – mesmo isso não constar na precificação do contrato (veja a nota completa da Prefeitura abaixo).

A mãe de uma servidora pública que busca mensalmente as cestas no Almoxarifado Central não acha que a logística afetaria tanto o preço. Isso porque ela precisa ir até o local retirar, passando por um caminho cheio de obstáculos.

“Eu passo por mato na calçada, buraco, tem lugar que tem que andar na rua, é um morro atrás de outro. E depois tenho que voltar tudo isso com o peso da cesta. Com esse preço era pra eles entregarem na minha casa”, disse a aposentada Celia Martins.

Aaposentada Celia Martins caminha muito para pegar a cesta básica em Cotia (Foto: Caio Prestes/TV Globo)
Aposentada Célia Martins caminha muito para pegar a cesta básica em Cotia (Foto: Caio Prestes/TV Globo)

Mas ela diz que, mesmo assim, ainda é uma privilegiada. “Eu posso enfrentar tudo isso, mas pelo menos moro perto. Tem muita gente que pega ônibus com aquele peso todo, e fica mais de uma hora até chegar em casa. Não é justo falarem que esses valores são pra distribuição das cestas”, completou.

A produção da TV Globo também procurou o Ministério Público de Cotia. A assessoria de imprensa do MPSP disse que já tem uma denúncia em andamento na promotoria.

A Prefeitura de Cotia informou que contratou a empresa Agro Alimentos seguindo os ritos previstos em lei. E que o transporte das cestas é feito pela própria empresa. Esta operação envolve transporte através de 11 viagens com caminhões.

Até o fechamento desta reportagem, a Agro Comercial da Vargem Ltda. não respondeu às tentativas de contato para explicar a diferença entre os valores.

Íntegra da resposta da Prefeitura:

“A prefeitura de Cotia informa que a contratação da empresa Agro Alimentos seguiu os ritos previstos nos termos da Lei 8666/93, tratando-se de pregão presencial do qual foi extraído o respectivo contrato, com validade de um ano, para o fornecimento de 2400 cestas básicas por mês. As cestas são entregues em três endereços estratégicos (Secretaria de Obras, Almoxarifado Central e Administração Regional do Distrito de Caucaia do Alto – distante 17 km do centro da cidade), sendo o transporte é feito pela própria empresa Agro Alimentos. Esta operação envolve transporte através de 11 viagens com caminhões trucados com capacidade de 14,5 toneladas, sendo 1 motorista e 2 ajudantes por viagem/caminhão.

À época do pregão, quatro empresas participaram certame e o contrato foi firmado com a empresa que apresentou o menor preço, respeitando o critério legal.

A Prefeitura de Cotia esclarece que o processo foi instruído com quatro cotações prévias junto a empresas do ramo.

Também deve-se considerar a composição dos preços das cestas que compreendem embalagens, controle de qualidade, controle nutricional, tudo isso por conta da empresa fornecedora. Isso evidencia que uma compra isolada de cesta básica para retirada no fornecedor pode implicar em preços diferenciados, porque não terá toda essa logística própria do contrato em questão firmado com a Prefeitura de Cotia e, talvez, nem tenham o mesmo tipo de embalagem das cestas entregues ao município.”

Fonte: G1

Comments

comments

Inline
Inline